Retrospectiva da DrupalCon London 2011

Foto de grupo da DrupalCon London 2011

Este ano decidi voltar a participar em mais uma DrupalCon, mas desta vez não fui sozinho! Foram comigo alguns membros da equipa de desenvolvimento da BloomIdea: o Alberto, o Horácio e o Jonhy. Já em Croydon, Londres, tivemos a companhia do resto da comunidade portuguesa. O ambiente geral era muito bem-disposto e foi bom rever alguns amigos da comunidade e fazer novos amigos.

Chegamos na segunda-feira, a viagem correu bem e Croydon ficava a apenas 15 minutos de comboio do aeroporto de Gatwick. Fomos de imediato fazer o check-in na conferência para evitar as filas no dia seguinte, pela manhã, para a keynote do Dries (vídeo disponível). Soube através do Twitter que a Cláudia e o Victor (pessoas fantásticas e com um sentido de comunidade que serve de exemplo para todos) já cá estavam desde a manhã a ter formação profissional nas sessões pré-conferência. Depois do check-in fomos dar uma volta pelo centro de Londres.

Já na terça-feira o dia começou com um dos momentos mais esperados em todas as conferências, a keynote do líder do projecto Drupal – Dries Buytaert. Quem não souber quem é, tem aqui um pouco da sua história numa das minhas apresentações sobre o Drupal e o seu Ecossistema. A keynote ao jeito das anteriores falou do alcance do Drupal, dos seus desafios, das suas conquistas e do que se espera dele no futuro. No meu entender, esta keynote teve um problema, focou demasiado os aspectos da necessidade de haver mais marketing feito ao Drupal. Embora eu concorde que isso também é importante, 99% das pessoas que lá estavam não queriam saber disso, queriam era ouvir falar de tecnologia e do que iria ser feito no core do Drupal. Esse tema do marketing acaba por afastar as pessoas que mantêm o Drupal a fonte de inovação tecnológica que é – os developers. Essa componente de marketing deveria ser deixada para a Associação Drupal e comunicada apenas a quem quisesse saber desse tema.

O resto do dia não correu muito bem, havia pessoas a mais para o espaço disponível. Não pude assistir a duas das sessões que pretendia por falta de lugares disponíveis. Ainda bem que existem os vídeos das sessões! O almoço foi uma confusão com tantas pessoas (cerca de 1800) a tentarem almoçar ao mesmo tempo. Desistimos e almoçamos fora do espaço da conferência. Neste dia, as minhas sessões favoritas foram a This Code Stinks!, Workbench: Managing Content Management e a The Rules Way of Life.

Outro momento alto do dia foi a BoF do Drupal Lusófono, onde os membros da comunidade portuguesa e da comunidade brasileira puderam discutir de que forma poderíamos colaborar. Também está em cima da mesa uma DrupalCon no Brasil para 2012. Aqui tive o prazer de conhecer o Alex e o Leandro da Webdrop, uma empresa que está a ter muito sucesso no desenvolvimento com Drupal no Brasil.

Drupal Lusófono

À noite fomos jantar ao The George, o hangout não oficial da comunidade portuguesa e de muitos mais drupalistas durante a conferência. O preço era bom e a comida não era má. Enquanto trabalhava um pouco, o resto de pessoal jogava a um jogo de dados chamado “A minhoca” (acho eu). O jogo devia ser divertido pois eles estavam muito animados :-)

Na quarta-feira o dia já correu melhor, a organização ouviu as críticas e a logística já correu muito melhor. A keynote desse dia foi muito interessante, o editor digital do The Economist fez um paralelismo entre o social media do presente e o que já acontecia no tempo dos romanos, aconselho vivamente que vejam o vídeo da sessão. Algumas das sessões a que assisti neste dia foram verdadeiras desilusões. Não posso recomendar nenhuma das sessões a que assisti, talvez encontre alguma interessante quando for ver os vídeos de algumas às quais não pude assistir.

A noite de quarta terminou com o espectáculo do Batman Live na O2 Arena e uma festa na Proud2. O Batman foi assim, assim... não é o meu tipo de espectáculo. A festa na Proud2 tinha potencial para mais (bebidas grátis) se os transportes oficiais não terminassem tão cedo, o que fez com que a maioria das pessoas se fosse embora às 23h!

Na quinta-feira a DrupalCon já começava a aproximar-se do fim. Este dia foi muito rico em sessões interessantes. Uma das minhas sessões favoritas foi a Developing with Drupal Commerce, o que veio muito a propósito pois fui novamente convidado para falar na Ecommarketing, sobre e-commerce com Drupal. A sessão mais divertida de todas é sem dúvida a OG7 - This Time It's On!, até desfile de moda teve!

Drupal Lusófono

O final do dia foi passado mais uma vez a passear pelo centro de Londres e a comprar umas souvenirs para os nossos mais que tudo ;-) Ainda chegamos a tempo de passar no Fairfield Halls para a festa de encerramento.

A sexta-feira, último dia da DrupalCon, foi 100% dedicado aos code sprints. Aproveitei para actualizar o meu blog para o Drupal 7, ainda estava na versão 5 do Drupal (em casa de ferreiro espeto de pau!).

Code Sprints

Durante a DrupalCon foram publicados alguns blog posts muito importantes de alguns membros da comunidade que “metiam o dedo na ferida” acerca do estado actual do projecto e que alertavam para o futuro, caso nada fosse feito. No final, após muitas trocas de palavras, conversas, ideias, tweets, código... acho que a comunidade saiu mais forte e o projecto continua no bom caminho. Mudanças aconteceram logo na sexta com alterações de fundo no core do Drupal 8. Essas vozes que alertaram para os riscos juntaram-se com o resto da comunidade e começaram a trabalhar de imediato para encontrar um caminho para levar o Drupal mais longe.

As verdadeiras comunidades são assim!

Tópicos: 

Comentários

Muito bom o texto. Para quem não pode ir, como eu, dá uma boa ideia do que aconteceu. As indicações de palestras também foi, pra mim, um ponto bom pois assim dá para ver algo já avaliado.

Abraço

Uma síntese que mistura o técnico com o convivial e super fiel.
Foi muito interessante verificar que mais portugueses rumaram a Londres, com o esforço das empresas, caso da Bloomidea.
As sessões foram em geral boas, mas há sempre uma ou outra que excedem as expectativas e valem a ida à Con. Mas o que mais marca é sem dúvida o contacto direto, o poder observar o modo de estar, partilhar e fazer negócios.
Adorei o Code sprint, a sala repleta de gente a labutar para um Drupal melhor.
Parabéns pela atualização do blogue. Ficou muito mais arejado e giro. Aliás, também estou a migar o meu de Wp para Drupal e escolhi esta mesma template.